Dia #5: Deventer

Atualizado: 8 de Jul de 2019


Hoje, cheguei à conclusão que não teria melhor começo do que esse. Não só por conta de reencontrar duas pessoas de coração enorme, a Maggie e a Greet, mas pelo próprio descanso. Poderia vice perguntar que só rodei 114 km e ja cansado? O cansaço vai além disso, é psicológico, é a logística, o planejamento; tudo pensado ha um ano e estruturado três meses antes. Enfim, estou em Deventer, onde será o ponta pé inicial para tentar alcançar Nordkapp, o fim do mundo norte.


Acordei tarde hoje, já eram nove horas. Minhas duas queridas amigas esperavam-me prontas para o café da manhã juntos. Duas pessoas queridas, positivas, que não medem esforços para deixar-me à vontade.


Companheiras, formam um lindo casal. Amor, cumplicidade e carinho de sobra. Bonito de ver!


Fomos de city bike e a encontramos em frente à estação de trem de Deventer.


Fomos juntos assistir a um balé, que era parte da atração cultural da cidade. Um final de semana com variadas apresentações de dança e música, já programada em todo verão em Deventer.


Andamos um pouco pelo centro da cidade, tirei umas fotos e resolvi voltar para casa com a Greet. Depois de andar pelo menos uns quinhentos metros, parecia que estava numa maratona. Cheguei em casa morto, fui deitar.


Jantamos mais tarde e fui convidado para voltar à cidade para ver as outras apresentações culturais; abortei. Às vezes, dá-me a impressão que o corpo já sabe o que vem pela frente e o sinal amarelo do estoque de energia começa a piscar.


Banho e cama para amanhã, meu último dia em Deventer, antes do grande desafio à Nordkapp.


40 visualizações2 comentários

Nestor Freire, engenheiro e cicloviajante

Engenheiro mecânico formado pela FAAP, ciclista e palestrante, o paulistano Nestor Freire nasce em janeiro de 1967. Desde a infância, a bicicleta sempre esteve presente em sua vida. Continua...

® 2020 Giraventura Consultoria