EP. #34 - Buonconvento / San Quirico D'Orcia / Bagno Vignoni / Centeno / Acquapendente


►Hoje o dia foi bem diferente. Acordei cedo como de costume, mas recebi uma mensagem logo cedo do meu amigo peregrino do Caminho de Santiago, Alessandro Madiai, propondo para nos encontramos para um almoço. Marcado o ponto de encontro em San Quirico D'Orcia a 20 km de Buonconvento, às 12 hs, em frente à Chiesa Santa Maria Assunta.


Cheguei meia hora antes, dei uma volta pela pequena cidade, muito simpática e fui direto para a igreja aguardá-lo. Com uma precisão italiana, Alessandro chegou 12:15 hs. Nos cumprimentamos; há exatos três anos atrás nos encontramos no último dia do Caminho de Santiago, chegamos juntos à Catedral de Santiago de Compostela e ali começamos uma amizade. Bacana, fiz duas grandes amizades no Caminho de Santiago em 2014 que ficaram, o Alessandro e o Toni Ross. Colocada a conversa em dia, falou que meu italiano era bom mas não sei onde, Ale estava de carro, então fomos a um restaurante de beira de estrada a 1 km de San Quirico. Infelizmente, não deu para acompanhá-lo no vinho pois estava pedalando, mas que coisa interessante, ele ia dirigir, então adicionou um pouco de água ao seu vinho. Viva, a Itália é o Brasil na Europa! Papo vai, papo vem, ele me encheu de dicas para chegar a Roma, parece que não é tão simples assim. Roma é um cidade enorme, cheia de carros e imprevistos. Fiquei de lhe passar a minha rota para estudarmos juntos qual a melhor maneira de chegar a Roma nesse sábado, pela estrada, por parques, não sei, propôs até chegar de trem, mas isso eu não quero, chego ao Vaticano nem se for empurrando a bike nos últimos 20 km. Nossa, que frio na barriga, fico maluco quando penso no momento, mas vamos deixar para depois.


Saímos do restaurante e ele queria muito me apresentar uma cidade fundada pelos etruscos chamada Bagno Vinoni, mas o problema, que embora a minha rota passasse ao lado, ficava em cima de uma colina, logo, o desgaste iria ser enorme para eu chegar até lá e depois seguir a Acquapendente onde iria pegar 20 km de subida e uma montanha de 10% a 2 km do final. Propôs então deixarmos a bike no posto e irmos de carro até Bagno Vinoni, eu topei. Em 10 minutos chegamos lá. Bagno Vinoni foi uma cidade fundada pelos etruscos, possui águas termais que foram utilizadas pelos romanos e é uma cidade típica toscana, cheia de restaurantes e para lá de charmosa. Demos uma volta pelas termas e fomos a uma cafeteria. Tomamos um café, ele me levou de volta ao posto e nos despedimos, mas brevemente nos veremos em Arezzo pois todas as minhas coisas e mala de saída estão na casa dele.



Segui rumo Acquapendente e que dureza. Apesar de ter a sorte de pedalar com o céu nublado, hoje as subidas não me deram muita trégua. Foram 20 km de subida a 2%, parece pouco, mas cansa muito, a perna não para. Não é o mesmo ritmo de subida a 9% ou 10% que quando você cansa, você para; nesse caso, não se para. Entretanto, a Toscana é linda, a paisagem é linda, a atmosfera toscana; passei ao lado do famoso Castello di Radicofani (abaixo), mas sem chance de encarar uma subida na atual circunstância para conhecê-lo.


No final da subida, um túnel de 1 km, indicando a descida que viria na sequência. Puro momento de delírio e sentimento de que a Via Francigena está chegando ao seu final.



Desci rumo a Lazio, me despedindo definitivamente da parte toscana da Via Francigena.


Foram 66 km rodados hoje, e os últimos 2 km foram de subida a 10% justamente para alcançar Acquapendente. Chegando a Acquapendente, outro problemas, tudo lotado, cidade pequena. Não aguentava pedalar mais, calor, estava com câimbras. Parei uma senhora na rua que gentilmente fez uma ligação para a Diocese. No final, consegui arrumar um cantinho para mim num Ostello de Peregrinos da Diocese, tudo muito simples, mas a essa altura, um banho e uma cama são mais do que suficientes para continuar amanhã. Estou a 3 dias de Roma, tudo começa a doer, ombro. coxas, braços; parece que as dores ficaram para o final tamanha a "economia" e o cuidado que tive comigo durante toda a jornada. Agora, hora de comer e descansar, boa noite Brasil!

#viafrancigena #itália #aventura

7 visualizações

Nestor Freire, ciclista e empreendedor

Engenheiro mecânico formado pela FAAP, ciclista e palestrante, o paulistano Nestor Freire nasce em janeiro de 1967. Desde a infância, a bicicleta sempre esteve presente em sua vida. Continua...

® 2020 Giraventura Consultoria