EP. #15 - Besançon (dia de pausa)


►Hospedado ao lado de uma das estações de trem - Gare de Viotte, um bonde - tram - saía da porta do meu do meu hotel em direção ao Centre Ville custando € 1,40 a viagem. O bonde é um charme, elétrico, possui três vagões. Toca um sino característico perto dos cruzamentos. Divide espaço com pessoas, bicicletas e carros.


►O tíquete é comprado numa máquina na plataforma de embarque ou você pode utilizar seu bilhete eletrônico e o valida tão logo adentra ao trem. Refletindo um pouco filosoficamente, pensei mais ou menos assim. Aqui se paga a passagem não como obrigação, mas como dever. Todos sabem que burlar uma simples passagem de € 1,40, pode-lhe custar talvez algumas centenas de Euros de multa, mas a ideia de se pagar dignamente por algo que se consome ou usa, principalmente quando se fala de uso público, é a regra básica de uma sociedade ética e justa, enfim, aqui funciona assim.


Besançon é uma cidade sensacional, me lembrou Barcelona. Muitas pessoas nas ruas, uma imensa área verde, museus, praças, restaurantes e a efervescência aqui é sem dúvida maior do que qualquer uma das grandes que passei, como Reims ou Arras.

Besançon é cortada pelo rio Doubs, navegável e limpo, as pessoas pescam, caminham e pedalam às suas margens. Conheci o Parque Micaud, belíssimo, possui uma ciclovia, crianças brincando por todo lado, pessoas de idade. É uma cidade que me lembrou muito Barcelona, aliás pobre Barcelona que ontem foi vítima de um atentado terrorista estúpido. Aproveitei também para visitar a Cathedrale Saint-Jean de Besançon, não tem nada de especial. Até agora as catedrais mais impressionantes que conheci foram as de Laon e Reims.


►Carimbei meu passaporte peregrino (já conta com 21 carimbos) no Office de Turisme. Lá, a atendente me perguntou se estava indo para Roma pela Via Francigena e me fez assinar um termo num livro da minha passagem por Besançon.

Hoje o dia amanheceu mais fresco e por volta das 17 hs o tempo virou - chuva e frio. Entretanto nesse horário já tinha dado para fazer um roteiro legal, fui até a entrada da Citadela que é o principal ponto turístico da região de Franche-Comté. Foi construída no séc. XVII por um arquiteto militar francês, Vauban, em cima do Monte Saint-Étienne que fica a 350 metros acima do Rio Doubs. A Citadela de Besançon pertence ao Patrimônio Mundial da Unesco e é palco de diversas atrações culturais, possui um museu de história natural, um zoológico entre outras muitas atrações. Infelizmente, não há tempo para visitar tudo, a passagem foi rápida pois meu objetivo é outro, mas fica a dica e a vontade para uma possível volta.


►No Centre Ville, cheguei também a visitar o museu do tempo, onde há instalado um interessantíssimo exemplar gigante do "Pêndulo de Focault", demonstrado pelo físico francês pela primeira vez na cúpula do Pantheon em Paris, em 1851, provando assim a rotação da Terra em relação a seu próprio eixo.

Voltando ao hotel mais tarde, passei no mercado, me abasteci para dar prosseguimento a cicloviagem de amanhã, acho que já estou inteiro ou parcialmente inteiro. Amanhã o destino será Pontalier, finalizando assim o roteiro na França. Previsão do tempo, chuva e ela acabou de começar da minha janela do hotel!


#aventura #viafrancigena #frança

Nestor Freire, engenheiro e cicloviajante

Engenheiro mecânico formado pela FAAP, ciclista e palestrante, o paulistano Nestor Freire nasce em janeiro de 1967. Desde a infância, a bicicleta sempre esteve presente em sua vida. Continua...

® 2020 Giraventura Consultoria